segunda-feira, 6 de abril de 2015

Boletim Dolores - Abril de 2015

Vai povo!
aperta o passo
que o trem não espera
que tempo é dinheiro
e tem gente sumindo
no suor das sentinelas
Temos que cavar procurando água nas ruas de concreto, levantar cisternas pra captar água da chuva, por vezes ácida, então é preciso deixar escoar os primeiros 10 minutos e o que restar dá pra lavar roupas, regar o calor do dia a dia, e pagar menos na conta d’água no final do mês, Temos que comprar remédios, o pão, o café, o leitinho das crianças, que já vem com soda cáustica, o arroz, o feijão, um naco de agrotóxico, uns ml’s de hormônio, umas gramas de especulação imobiliária, e o gás já acabou? De manhã acordem cedo pra trabalhar, subam na lotação, empilha mais um pouquinho que cabe todo mundo, mais dois degraus, girem a catraca até o ponto de espremer, o sangue, a insônia, a rebeldia, o xingamento, resignação, três reais e cinquenta centavos, girem outra catraca, mais um e noventa e cinco, vocês entrarão na estação Sé do metrô, no horário de pico, toquem a boiada em direção às baias, para que batam o cartão de ponto sem atraso, muita gente amontoada em todos os espaços, o sistema metroviário está obstruído, o trem está parado, caiu um objeto cotidiano, metade bicho, metade humano, perdendo o viço nos trilhos do metrô,
Cícero tá indo embora
tal qual curupira
que muda os caminhos
e guarda terra embaixo das unhas
terra ocupada
por grãos de feijão
desejos, banhos de rio e desmazelas
leva contigo
um tanto de cachaça e fumo
um beijo da mãe d’água
castanhas do Pará
andiroba
todo tipo de raiz, que cura
cipó enviesado dos açudes de malva
folhas secas, dias e noites,
pétalas frescas
que teus calcanhares
não mais trilharão
vai vento forte
vira carbono
por entre os pés de açaí
que eu por agora
fico por aqui
somando à luta, plantando teatro, precisamos construir cataventos, hortas, Ciranda pras Lucis e Raonis, gritar os protestos, fazer mutirões, no CDC Vento Leste, no Assentamento Irmã Alberta, Comuna de Guaianases e outras por aí...
E por semicerradas pestanas, há um sopro de mata atlântica nos ventos do Jardim Iguatemi, o entardecer no Arpoador, tem gente a noite toda tocando tambores pra arreuni os povos do Norte e do Sul
Acampadamente felizes
nas bordas do morro vermelho
no CDC Vento Leste
sorriem nossos filhotes
de girassol selvagem
Nica Maria

Dirce Ane


Lá pelo Dolores, seguimos nos preparativos (já bem envolvidos) com a concretização do Fomento 2015. "P.U.T.O." em processo de re-criação, ciranda se estruturando belamente, o livro de 15 anos a engordar repertório, grupos de trabalho testando os tempos e novas formas de se organizar e teatro mutirão na veia.
. . . . . . . . . . .

Esse sábado, 11/04, acontece o Sarau Vento Leste organizado pelo Grupo Parlendas para compartilhar as histórias da cruzada cubana vivida por eles. 
. . . . . . . . . . .

01/04
A firme e forte batucada do Dolores se somou ao Cordão da Mentira em seu Desfile&scracho de 2015. Mais informações, aqui.
. . . . . . . . . . .

19/03
Tivemos nesse período o retorno da Gabriela Bortolozzo para apresentar sua dissertação de mestrado "Espacialidade e ativismo social na Zona Leste de São Paulo: O caso do Coletivo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes". Mais informações, aqui.

. . . . . . . . . . .

.../03
E em março (e na vida), estivemos ao lado do MST seja na Festa do Milho do Irmã Alberta, seja nas ações das mulheres nesse mês de luta. Mais informações no perfil do Dolores no Facebook. 
. . . . . . . . . . .

Para mais informações sobre alguma atividade ou notícia desse informativo, 
acesse nosso blognossa página no facebook 
ou mande um e-mail para gente: doloresbocaaberta@gmail.com

. . . . . . . . . . .


CDC Vento Leste – Rua Frederico Brotero, 60 – Cidade Patriarca 

Acesse o blog do CDC Vento Leste:

quarta-feira, 1 de abril de 2015

1º de Abril - DIA DE MUITA LUTA - Cordão da Mentira e Ato dos Trabalhadores da Cultura

DESFIL&SCRACHO
CORDÃO DA MENTIRA 2015
"CONDENADXS DA TERRA"


VAMOS DENUNCIAR OS CRIMES DA DITADURA CIVIL MILITAR BRASILEIRA


01 DE ABRIL - HOJE (QUARTA-FEIRA)
CONCENTRAÇÃO ÀS 18H - SÁIDA ÀS 19H30
LOCAL: LARGO GENERAL OSÓRIO – ESTAÇÃO DA LUZ

VAMOS DENUNCIAR OS CRIMES DA DITADURA CIVIL MILITAR BRASILEIRA
Condenadxs da Terra,
É chegada a hora de mais um desfil&scracho.
Primeiro de Abril, dia da mentira, dia de nossa luta.
O Cordão da Mentira sairá às ruas com o tema Condenados da Terra.
Na mentira do nosso cotidiano enterraram nossa memória e, com ela, os povos indígenas, negros e imigrantes; os corpos femininos, transexuais; a vida operária, sem-terra, sem-teto. Lembrar é dar voz e o trajeto de nosso Cordão promete traçar o passado destes condenados.
Personagens de uma mesma história sangram no pacto de luta contra uma ordem cada vez mais fascista. Em nome do desenvolvimento, se massacra; em nome da lei, se encarcera; em nome da cultura, se vende.
O Cordão volta às ruas para mostrar que não compactua com isso. Contra o mimimi fascista, a batucada do samba. Contra a governança desmedida, a memória de luta.
E que o Cordão seja o espaço de luta de vários guerreiros e guerreiras.
Que venham as lutas indígenas!
Que venha a libertação negra!
Que venha a Pátria Grande e sua gente!
Que venham os corpos livres!
Ocupemos a cidade para transformar seus territórios!
No ano de 2015, convidamos a criatividade de vocês no trajeto do Cordão. Organizem suas alas! Façamos nossa trincheira contra a Mentira da História. Ouçamos as vozes dxs condenados e condenadas da terra que ainda clamam por justiça, verdade e mudança num beco silencioso das ruas do Centro!
O cordão tem o seu espírito calcado na roda de samba, no seu rito, nas suas composições e na sua verdade. Verdade de um povo que canta contra a opressão. Contamos com todos os coletivos, militantes e artistas parceiros para mais uma vez construirmos nosso Cordão com paixão e com verdade.
As ruas são para lutar!
Cordão da Mentira
Maiores informações em:
cordaodamentira.milharal.org
Evento no Facebook aqui.
_______________________________________

ATO DXS TRABALHADORXS DA CULTURA
NÃO AO RETROCESSO NA CULTURA ESTADUAL /SP



01 DE ABRIL - HOJE (QUARTA-FEIRA)
CONCENTRAÇÃO ÀS 13H30
LOCAL: SALA SÃO PAULO – PRAÇA JÚLIO PRESTES, 16 – ESTAÇÃO DA LUZ

- Em defesa do ProAC e das Oficinas Culturais
- Pelo Fim da Mercantilização da Vida
- Pela Arte Pública

PEDIMOS PARA AJUDAREM NA DIVULGAÇÃO.

Evento no Facebook aqui.

http://cultura.estadao.com.br/noticias/geral,oficinas-culturais-sao-fechadas-em-sao-paulo,1656432

www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada/213222-arrocho-cultural.shtml

www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrada/213224-instituicoes-se-preparam-para-ate-30-de-cortes-sp-ja-tem-baixas.shtml

http://g1.globo.com/sao-paulo/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/noticia/2015/03/artistas-de-aracatuba-fazem-protesto-contra-fechamento-de-oficina-cultural.html

http://globotv.globo.com/tv-tem-interior-sp/tem-noticias-2a-edicao-rio-pretoaracatuba/v/oficina-cultural-em-aracatuba-sera-fechada-por-motivo-financeiro/4050806/

http://correio.rac.com.br/_conteudo/2015/03/entretenimento/248113-oficina-cultural-hilda-hilst-fechara-as-portas-em-abril.html

http://www.dgabc.com.br/(X(1)S(3qq011ewqd4qn4mt0qfwmbbq))/Noticia/1260534/oficinas-culturais-sao-fechadas-em-sao-paulo

http://www.peticaopublica.com.br/psign.aspx?pi=BR80462

http://www.saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia2.php?id=240069

quinta-feira, 19 de março de 2015

Hoje no CDC: Dissertação de Mestrado sobre o Coletivo Dolores

Hoje (19) o Dolores recebe no CDC a camarada Gabriela Bortolozzo, que fará a apresentação da sua Dissertação de Mestrado sobre o Coletivo.

Quem quiser, esteja à vontade para aparecer e convide também outros interessados. Começaremos às 19h e seguimos algum tempo num bate-papo. Vamos juntos!!


RESUMO

Espacialidade e ativismo social na Zona Leste de São Paulo: O caso do Coletivo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes.

O Coletivo Dolores, neste trabalho, não foi apenas um objeto de estudo, mas um exemplo de agentes de resistência no processo do uso do território nas periferias brasileiras. Por meio de suas ações, foi possível mapear e identificar elementos de resistência e de luta, possibilitando a criação de locais não hegemônicos, ao passo que reorganiza os espaços que ocupa.

Suas ações, estas sim, objetos de estudo desse trabalho, nos revelam a importância do coletivo, já que também se apresentam como oposição ao processo de exclusão sócioespacial das cidades e a imposição da alienação do território.  Ao passo que tais efetivações se dão numa construção constante de organizações horizontais e solidárias, da desalienação do trabalho, da democratização da arte, das apropriações do espaço e de diversas outras realizações, o Dolores se encarrega por nos encher de “espaços de esperanças”, que, segundo Harvey (2000), seria o sentimento político coletivo de transformação do mundo através da consciência, da utopia e da efetivação responsável da democracia.

É sobre esta inspiração, de desejo de (re)construção e transformação da sociedade e seu espaço, que decorre esta dissertação de Geografia... Ao mesmo tempo em que tenta costurar conceitos, pensamentos e debates em torno de questões políticas econômicas e sociais que percolam entre os trabalhos dolorianos e tal ciência.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Projeto de Fomento 2015 - "Dolores 15 anos: Trilogia da Necessidade"



O resultado da 26ª Edição Fomento ao Teatro saiu antes do imaginado, comecinho de março. Estamos felizes por poder colocar em prática, com condições objetivas, nosso projeto de 15 anos de Dolores. O projeto inclui diversas ações como a estreia de 3 espetáculos - resultado dos núcleos de pesquisa e da última edição do fomento no qual fomos contemplados, o III Festival de Teatro Mutirão - reunindo saraus importantes da cidade de São Paulo e a colocação de tótens-placa com poesias pelo espaço do CDC Vento Leste, o lançamento do nosso livro poético-político de 15 anos, formações para o próximo projeto, oficinas para a comunidade, entre outras.

Estamos felizes e animados já retomando cronograma, funções, vontades, anseios e colocando em confronto e em relação com o mundão feroz que nos circunda.

Disponibilizamos aqui o PDF do nosso projeto para partilhar com os parceiros e interessados em conhecer e chegar junto do nosso trabalho.

Para baixar, clique aqui. Ah, o PDF é navegável (é só clicar nos itens do índice para passear por ele)!!!

É tempo de comemorar! Que venham outros 15 anos!!!

domingo, 1 de março de 2015

Boletim Dolores - Março de 2015



Subir lomas
hermana hombres.
               José Martí

Mais de 10 dias cavando montanhas, escalando povoados, mirando a altura das palmeiras reais e florestas orientais da ilha.
O último lomo rochoso, antes do horizonte rasgado do mar, guardava nos peitos tênue sensação de um mundo decifrado, mas, ao dobrar o topo da última montanha e espelhar todo mar azul em céu do caribe lambendo a savana dourada: os peitos explodiram.
A caçamba do caminhão passa a gritar e as mãos lançadas nuvens enquanto o vento arreganha bocas e chacoalha catedrais em nossas costelas.
Savana La Mar possui água límpida e quase morna tocando a praia de pedrinhas coloridas. Uma ponta da praia é limitada por imensa rocha porosa migrante do ocre ao marrom escuro quando pousa na serena água doce do rio San Antônio.
O rio, antes do sal das correntes caribenhas, guarda pedras ovoladas nas funduras breves do caminho de serpente. Suas pedras abrigam o calor dos dias como se germinassem filhotes de dragão e ousassem tornar quentes os pés, água em degrade resfriando até o pescoço.
Cactos nos guarneciam do alto do rochedo enquanto um pelicano pescava o sol poente ladeado pelas chuvas ao sul da imensidão.
Desperto num corredor à porta do teatro apodrecido. Do colchonete donde deitei-me observo a hélice enferrujada que servira de exaustor à nave. No fundo do palco empoeirado, de madeiras úmidas, carcomido por mofo e bolores coloridos, descansa um afresco do ufanismo cubano em bandeira e flores tropicais. As cadeiras destroçadas da platéia memoram burburinhos de antes da guerra. Bloqueio econômico e fim do bloco socialista varrem Cuba pra misérias genocidas. Sete anos de fome. Sete anos da nova revolução, a revolução contra a falta.
A ilha já não esfaimada sobeja gentes e dignidades escassas pela ordem capital.
O teatro habitado por morcegos que durante a noite flanavam sobre minhas orelhas mostra-me o derretimento de uma promessa. Na sala contígua derretem quatro pianos, e por toda parte desfaz-se prédios em mofo, farelos e tétano. Pelas frestas de concreto chora nosso teatro o cinza das chuvas de inverno.

Luciano Carvalho
10 de fevereiro de 2015
San Antônio del Sur
Guantánamo
 Cuba



Carnaval, 2015 e nosso bloco "Unidos da Madrugada" saiu às ruas 
no dia 13 de fevereiro com o samba enredo de 2015 
"Dolores em lutas, em atos e em festas".
Veja o vídeo e outras informações aqui.

. . . . . . . . . . .

Ainda neste carnaval, no sábado, na Batucada do Povo Brasileiro, tivemos o cortejo do Cordão Carnavalesco Boca de Serebesqué lembrando que "Não tem água, não tem chuva, mas o bloco vai pra rua!!" (uma notícia por cá). E, no domingo, em Jandira, para finalizar lindamente as saudações carnavalescas ao ano de 2015, tivemos a Escola de Samba Unidos da Lona Preta do MST, reunindo as batucadas do povo brasileiro e comemorando seus 10 anos de história (assista o vídeo). 

. . . . . . . . . . .

No último sábado, mutirão no CDC movimentou paredes, armários, chão e telhado 
em nosso espaço auto-gerido e firmemente ocupado. Fotos e relato aqui.
. . . . . . . . . . .

Para mais informações sobre alguma atividade ou notícia desse informativo, 
acesse nosso blognossa página no facebook 
ou mande um e-mail para gente: doloresbocaaberta@gmail.com

. . . . . . . . . . .


CDC Vento Leste – Rua Frederico Brotero, 60 – Cidade Patriarca 

Acesse o blog do CDC Vento Leste:

Carnaval 2015

 

Nosso carnaval saiu às ruas nesse ano na 6ª feira 13 de fevereiro. Dia de sorte, mesmo com nuvem preta, alguma encrenca e dificuldades técnicas. Esse carnaval dá início oficial às comemorações de 15 anos do Dolores completados no 2º semestre deste ano.


O percurso partiu do Metrô Patriarca e seguiu pelas ruas do Jd. Triana até o CDC Vento Leste, com direito à paradas e breques em todos os pontos importantes do caminho. Das lajes e janelas, somos saudados em nosso festejo. Encontramos alguns mais animados que criam pequenas comissões de frente para nosso cortejo, de um churrasco um convidado acompanha o samba no cavaquinho, e no famigerado "escritório" recebemos saudações, palmas e danças desajeitadamente animadas.

Muitos se somam ao cortejo, fazendo chuvas de confete e dançando até nosso espaço onde brindamos e tocamos nosso Samba-enredo 2015 pela última vez... ao menos no dia de hoje.

Nosso Samba-Enredo:

DOLORES EM LUTAS, EM ATOS E EM FESTAS
Samba-enredo Unidos da Madrugada
Carnaval, 2015
Veio do morro vermelho
Mostrando logo a que veio
Na luta construindo seu enredo
Faz mutirão, batucada,
Ocupação na quebrada.
Vem sambar unidos da madrugada.
Nasceu no ano 2000
Menina lida com seu sonho juvenil
Fazer teatro na periferia
É do povo, quem diria
Depois do trampo transformando o dia a dia
Mas sabe que sozinha não dá mão
Fez poesia de dentro da lotação
Dançou na sombra de um incêndio, "arreuniu"
Na militância o horizonte se abriu
A vida não finda, bailarina
Eu bebo eu fumo
Eu como com farinha
Eu não me envergo
Eu não me quebro
Eu perco folhas
Sou osso duro de roer
A vida não finda, bailarina
Eu bebo eu fumo
Eu como com farinha
Meu pixaim não tem medo de canibal
15 anos nesse Carnaval!
Um diamante que não quer se lapidar
Nem o petróleo a fez um dia se curvar
Mulher e mãe botou a vida para cirandar
Comer, dormir, trepar.

E para finalizar, com gostinho e sonzinho de "quero mais", nosso vídeo síntese carnavalesca.